De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Desenvolvendo o Investimento Social – IDIS e o Instituto de Pesquisas Datafolha (2022), cerca de 57 milhões de brasileiros são voluntários em alguma atividade ou organização. São pessoas que, de forma espontânea, doam seu tempo e energia em prol de causas sociais que as mobilizam, de forma a estabelecer uma relação solidária e, portanto, exercício da cidadania. Voluntariado exige compromisso, responsabilidade, reflexão e consciência crítica e contribui para a ampliação de consciência e compreensão de diferentes realidades. 

Voluntariado no Instituto Dara

De acordo com a Dra. Vera Cordeiro, fundadora e presidente do Conselho da instituição, “Os voluntários são a alma do Instituto Dara.” A organização entende que o voluntariado é uma forma de aplicar o potencial humano e social na construção de um trabalho de equipe, que visa transformar as vidas das famílias atendidas. Em função da maturidade e histórico da instituição, o Dara é buscado por voluntários de forma espontânea.

Como fazer parte da equipe de voluntários?

Para fazer parte da equipe de voluntários da instituição, o candidato deverá ter idade mínima de 18 anos para as atividades ligadas ao atendimento direto às famílias ou crianças. Para as demais atividades, a idade mínima é de 16 anos. O processo de seleção e admissão envolve entrevistas e assinatura de um Termo de Adesão. Na sequência, ocorre uma ambientação e capacitação quanto às normas e regras da Instituição e atividades específicas de cada área. O acompanhamento fica à cargo da coordenação de cada área. 

 Voluntariado no acompanhamento familiar no Instituto Dara
Luciana Veloso, Gilda Bouch e Regina Siqueira – Coordenadoras voluntárias no Instituto Dara

O Acompanhamento Familiar no Instituto Dara é um setor fundamental para o sucesso da aplicação da metodologia do Plano de Ação Familiar – PAF, cujo objetivo é acompanhar e monitorar o desenvolvimento da família e das ações planejadas em conjunto com as mesmas, durante todo o período de permanência na Instituição. É um setor formado apenas por voluntárias que desenvolvem competências e habilidades ao longo de todo o processo e  dedicam seu tempo para conversar e entender as necessidades específicas de cada família.

Como funciona o trabalho voluntário no acompanhamento familiar?

A partir dessa escuta e de conversas, as voluntárias direcionam as demandas das famílias aos setores técnicos como Saúde, Nutrição, Psicologia, Educação, Cidadania, Moradia, Renda e Jurídico. Os atendimentos são mensais e realizados em 4 dias por semana. A cada dia, são recebidas e atendidas uma média de 20 famílias, totalizando mais de 300 famílias atendidas mensalmente. Primordialmente, o atendimento do Acompanhamento Familiar é um momento de escuta e de muita troca, no qual se estabelece uma conexão entre o voluntário e a pessoa responsável da família atendida.

O que é necessário para ser um voluntário do Acompanhamento Familiar?

A principal habilidade requerida é a empatia e a solidariedade, somadas à disposição de escuta do próximo e se aproximar de suas questões, dificuldades e anseios. O momento do atendimento no setor de acompanhamento Familiar no Dara é a oportunidade do exercício pleno da empatia e da percepção das oportunidades para a construção de um futuro melhor para cada família.

Voluntariado Empresarial

O Instituto Dara também realiza ações de voluntariado empresarial como mutirões e ações especiais para empresas, como forma de engajamento em causas sociais. Empresas como a Prudential e a Veirano Advogados já participaram de eventos organizados pelo Dara. Nesse sentido, tanto empresas como organizações licenciadas pelo Instituto trabalham na perspectiva da participação cidadã. 

Legislação

No Brasil, a Lei 9.608 (1998) trata sobre o serviço voluntário considerando uma atividade não remunerada, que não gera vínculo empregatício. O voluntário pode ser pessoa física atuando em entidade pública ou a instituição sem fins não lucrativos. De amaneira geral, tais organizações que tem objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos ou de assistência à pessoa.